Vem e vê – Rodeados por convites

Basta sairmos de casa para nos encontrarmos rodeados de convites por todos os lados: “Venha visitar a nossa loja!”, “Experimente a nova gama de automóveis!”, “Venha conhecer o trabalho da nossa associação!”; “Não perca o concerto desta noite!”… chegam-nos apelos de todas as direções. Nas redes sociais somos diariamente bombardeados por convites para um sem número de eventos, sem falar nos convites mais pessoais, como o aniversário dos primos, a festa para a colega que vai ter bebé, o casamento de um parente ou simplesmente aquele café eternamente adiado com um amigo de longa data.

Alguns convites deixam-nos interessados, outros com pena por não podermos ir, ou até constrangidos, porque não podemos recusar, mesmo se era a última coisa que nos apetecia fazer. Alguns geram grande entusiasmo: mal podemos esperar que chegue o dia; outros são-nos indiferentes e simplesmente ignoramo-los, deixamo-los esquecidos.

Mas no meio de todos estes apelos, de todas estas vozes e imagens, de todas as solicitações, há alguém que nos faz um convite singular.

Não é um convite com interesses escondidos ou que visa o proveito de quem o faz. Pelo contrário, este convite é motivado por um imenso amor altruísta, feito por alguém que está atento e sensível à tua condição, ao teu sofrimento, desejos e frustrações. Alguém que não hesitou em oferecer a própria vida por ti.

Não é um convite para passar um bom bocado, umas horas de alegria partilhada, uns momentos de prazer que passam e ficam apenas registados na memória ou numa fotografia. Pelo contrário, este convite visa mudar a tua vida para sempre e oferecer alegria e paz constantes, permanentes, duradouras, resistentes ao tempo e às circunstâncias.

Não é um convite que te vai trazer encargos, bilhetes de entrada ou contas para pagar, stress, correria, peso, sobrecarga. Pelo contrário, este convite oferece alívio, refrigério, descanso.

E é um convite singular porque é feito por alguém muito especial. É feito pela pessoa mais importante do universo, pelo Rei dos reis, pelo Senhor dos senhores, pelo Príncipe da Paz, pelo Filho de Deus. O seu nome é Jesus Cristo.

Ele convida: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.” (Mateus 11:28-29)

O convite é endereçado a todos os que estão afadigados, que correm de um lado para o outro à procura de um objetivo, de felicidade, de algo que preencha as suas vidas, sem nunca encontrarem nada que os satisfaça plenamente, sem saberem que Ele é o único que os pode satisfazer. Por isso Ele também convida: “Se alguém tem sede, venha a mim, e beba” (João 7:37), porque só Jesus oferece a vida abundante e completa que o homem procura.

É endereçado a todos os que se sentem oprimidos e sobrecarregados, constantemente pressionados pela vida, sem compreenderem exatamente o que é que os aprisiona. Jesus explica a razão: “todo aquele que peca é escravo do pecado” (João 8:34 BPT). O pecado é a verdadeira razão da condição do homem! O apóstolo Paulo declara na sua Carta aos Romanos que “Todos pecaram e estão privados da glória de Deus. Mas pela sua bondade imerecida, Deus os justifica gratuitamente por meio de Jesus Cristo que os libertou do poder do pecado. (Romanos 3:23-24 BPT) Jesus ofereceu a sua própria vida para pagar o preço pela nossa. Ele nos redimiu, nos comprou com o seu sangue para que pudéssemos experimentar a liberdade que só Ele pode oferecer. Por isso ele afirma: “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.” (João 8:36) Ele promete alívio, liberdade do jugo e da opressão do pecado para todo aquele que aceitar o seu convite e vier a Ele, todo aquele que aceitar o seu sacrifício em seu lugar e O reconhecer como Senhor da sua vida.

E aquele que nos convida a reconhecê-lo como Senhor, convida-nos a trocar o jugo pesado que o nosso antigo senhor, o pecado, nos impunha, pelo seu, que é suave e leve (Mateus 11:30). Aqueles que viviam sobrecarregados, oprimidos, subjugados pelo pecado, podem agora experimentar um Senhor que é amoroso, manso e humilde. Ele convida-nos a deixar o pecado e as suas cargas e a colocarmo-nos livremente debaixo do Seu senhorio, aceitando e desfrutando da sua vontade para as nossas vidas, confiando que Ele nos conhece, ama e sabe o que é melhor para nós e, sobretudo, sabendo que ele promete estar connosco e ajudar-nos a levar cada peso que tivermos de enfrentar. Jesus oferece aquilo que mais nada nem ninguém nos pode oferecer: descanso e refrigério para a alma.

Talvez tu também te sintas cansado e sobrecarregado e necessitas do alivio e descanso que Jesus oferece, mas desconfias do seu convite. Será apenas um convite igual aos outros? Será Jesus verdadeiramente o Filho de Deus que veio para me salvar? Será que Ele pode mesmo oferecer a liberdade que promete?

Não és o primeiro a colocar estas perguntas. Muitos homens e mulheres se questionaram ao longo dos séculos sobre quem é Jesus e o que pode Ele fazer. A todos é dada por aqueles que já responderam ao seu convite e O experimentaram nas suas vidas a mesma resposta que Filipe deu ao seu amigo Natanael no Evangelho de João (João 1:46). Eu também já experimentei a Sua liberdade na minha vida e estendo-te o mesmo convite: “Vem e vê”!

 

Artigo da revista: Novas de Alegria